Casos de Sucesso: Iluminação

AeC Contact Center

Redução de Demanda (kW)

HP: 13      HFP: 13

Redução de Energia (kWh)

HP: 68.519      HFP: 934.560

Economia R$ 537.033,64

Casos de Sucesso: Iluminação

Shopping Oiapoque

Redução de Demanda (kW)

HP: 0      HFP: 0

Redução de Energia (kWh)

HP: 0      HFP: 2.274.000

Economia R$ 1.856.920,79

Casos de Sucesso: Ar Condicionado

Hospital Felício Rocho

Redução de Demanda (kW)

HP: 52      HFP: 59

Redução de Energia (kWh)

HP: 173.321      HFP: 1.244.565

Economia R$ 786.507,78

Casos de Sucesso: Iluminação

Hospital Felício Rocho

Redução de Demanda (kW)

HP: 54      HFP: 80

Redução de Energia (kWh)

HP: 284.084      HFP: 2.368.681

Economia R$ 1.360.455,83

Vai comprar lâmpadas LED? Então leia estas dicas

Existem no Brasil mais de 250 fornecedores que disputam o mercado de lâmpadas LEDs.

Se por um lado esse fato democratiza o mercado de iluminação por outro ele impõe a necessidade do consumidor ficar mais atento às informações, muitas vezes truncadas, que esses mesmos fornecedores disponibilizam em seus catálogos.

Veja a seguir alguns cuidados que você deve ter na hora de especificar bem os seus produtos:

1 – Em projetos novos, as lâmpadas de LED no formato tradicional, parecido com as lâmpadas incandescentes ou fluorescentes, podem não ser a melhor opção em termos de vida útil e de eficiência energética;

2 – Dê preferência para as luminárias que utilizam os LEDs de potência (High Power LEDs) por serem mais potentes e mais eficientes que os demais tipos de LEDs. Esses LEDs normalmente são apresentados em luminárias/lâmpadas sob a forma de uma unidade ou um conjunto de LEDs (LED COB);

3 – O catálogo do fornecedor de lâmpadas LED refletoras (PAR, AR, MR) deverá informar o valor da Intensidade Luminosa (cd) e não apenas o Fluxo Luminoso (lm). Esse valor deverá ser informado para cada ângulo de abertura da lâmpada/luminária e para cada temperatura de cor;

4 – O valor da eficiência energética (lm/W) atualmente está por volta de 120 lm/W. Para produtos com potência variando entre 15 e 40 W exija uma eficiência superior a 60 lm/W e para potências igual ou superior a 40 W, procure especificar modelos com pelo menos 90 lm/W;

5 – A temperatura de cor deve variar entre 2.700 a 6.500 K. A regra geral é que quanto maior a TCC maior é o fluxo luminoso;

6 – Atualmente um bom LED deve ter uma reprodução de cor (CRI) igual ou superior a 90%;

7 – Cuidado ao especificar os seus produtos pois se a Derivação de Cor (SDCM) for maior que 10, diferenças perceptíveis podem surgir na tonalidade da luz;

8 – O método mais utilizado para verificação da manutenção do fluxo luminoso é aquele descrito pelo IES e conhecido como LM80 que determina o fluxo luminoso dos LEDs após um determinado número de horas. Por exemplo L70B50 informa que 70% do fluxo luminoso inicial é mantido após 50.000 h de uso dos LEDs;

9 – Se o produto é realmente de qualidade, exija uma garantia de no mínimo 5 anos.

10 – Não compra LEDs comparando valores da embalagem do produto. É fundamental avaliar os vários fabricantes comparando várias informações técnicas que estão nos catálogos dos produtos.

11- Se você que adquirir produtos de qualidade, que não vai te dar dor de cabeça, exija uma garantia mínima de 3 anos para reposição contra queima e defeitos de fabricação.

E finalmente guarde a nota fiscal de compra para trocar as lâmpadas com queimadas ou com defeito conforme a garantia ofertada pelo fornecedor.

Fonte: Ceilux

Fonte: O Debate – Portal de Noticias