Casos de Sucesso: Ar Condicionado

Hospital Felício Rocho

Redução de Demanda (kW)

HP: 52      HFP: 59

Redução de Energia (kWh)

HP: 179.138      HFP: 1.286.333

Economia R$ 812.903,22

Casos de Sucesso: Iluminação

Shopping Oiapoque

Redução de Demanda (kW)

HP: 0      HFP: 0

Redução de Energia (kWh)

HP: 0      HFP: 2.315.400

Economia R$ 1.890.727,53

Casos de Sucesso: Iluminação

Hospital Felício Rocho

Redução de Demanda (kW)

HP: 54      HFP: 80

Redução de Energia (kWh)

HP: 291.699      HFP: 2.432.177

Economia R$ 1.396.924,92

Casos de Sucesso: Iluminação

AeC Contact Center

Redução de Demanda (kW)

HP: 13      HFP: 13

Redução de Energia (kWh)

HP: 70.522      HFP: 961.884

Economia R$ 552.735,05

Pipa flutua na água para produzir energia

Semelhante a uma raia, pipa subaquática produz energia pelo movimento das marés.

Projeto europeu cria pipa subaquática que gera energia elétrica através das forças das marés. Protótipo, construído de materiais resistentes, está em fase de teste.

Heije Westberg, líder do projeto, explica o funcionamento da tecnologia que é ancorada ao fundo do mar. “Em uma maré, temos uma força de elevação: a pressão da água. A asa faz a pipa voar para frente; ela realmente acelera, então faz girar a turbina. E quando a turbina gira, você produz eletricidade,” diz a engenheira.

Os testes, feitos com um protótipo em escala reduzida, buscam identificar os melhores parâmetros de operação e determinar como a vida marinha interage com a pipa. Os primeiros testes serão feitos em Strangford Lough, na Irlanda do Norte, onde um braço de mar de 150 quilômetros apresenta uma das maiores amplitudes de maré do mundo, chegando a quatro metros, com a água movimentando-se a até 1,4 metro por segundo.

“O objetivo em si não é voar o mais rápido possível. O objetivo é alcançar a maior quantidade possível de conversão de energia. Se você voar muito rápido, isso vai naturalmente estressar o sistema; você pode ter falhas e quebras, qualquer problema. Então você precisa otimizar a velocidade para a produção de energia,” acrescentou Heije.

Se os testes forem bem-sucedidos, a equipe pretende construir pipas aquáticas de 12 metros de envergadura, cada uma capaz de produzir até 1,6 Gw/hora de eletricidade por ano.

Fonte: O Debate