Casos de Sucesso: Ar Condicionado

Hospital Felício Rocho

Redução de Demanda (kW)

HP: 52      HFP: 59

Redução de Energia (kWh)

HP: 162.446      HFP: 1.166.477

Economia R$ 858.926,59

Casos de Sucesso: Iluminação

AeC Contact Center

Redução de Demanda (kW)

HP: 13      HFP: 13

Redução de Energia (kWh)

HP: 64.773      HFP: 883.476

Economia R$ 438.915,99

Casos de Sucesso: Iluminação

Hospital Felício Rocho

Redução de Demanda (kW)

HP: 54      HFP: 80

Redução de Energia (kWh)

HP: 269.847      HFP: 2.249.971

Economia R$ 1.499.896,57

Casos de Sucesso: Iluminação

Shopping Oiapoque

Redução de Demanda (kW)

HP: 0      HFP: 0

Redução de Energia (kWh)

HP: 0      HFP: 2.196.600

Economia R$ 1.526.786,73

Cemig alerta sobre riscos para jogadores de Pokemon Go

Invasões a subestações e instalações elétricas podem causar acidentes graves.

A Companhia Elétrica de Minas Gerais – Cemig alerta aos usuários do aplicativo Pokemón Go sobre os riscos de jogar próximo da rede elétrica e dentro de subestações de energia.

A empresa lembra que as instalações da rede elétrica, incluindo cabos, transformadores, subestações e torres de energia, oferecem risco de choque elétrico, podendo levar à morte. Apenas profissionais capacitados e a serviço da concessionária estão autorizados a subir em postes e entrar em instalações de acesso restrito do sistema elétrico.

Redes internas

As instalações da rede elétrica interna também oferecem riscos aos jogadores. O cuidado deve ser maior com os disjuntores e quadros de energia e, no caso de prédios e condomínios, com as casas de força. A área destinada aos geradores também devem ser evitadas.

Em caso de acidentes envolvendo energia elétrica, a Cemig recomenda que o disjuntor elétrico ou a chave geral seja desligado, e ligue para o Corpo de Bombeiros (193) ou para o Samu (192).

Não toque na vítima ou tente resgatá-la sem ter a certeza de que a fonte alimentadora da energia esteja desligada. Em caso de ocorrência com a rede de distribuição de energia, a Cemig deve ser imediatamente acionada pelo telefone 116.
 

Fonte: O Debate – Portal de Noticias