Casos de Sucesso: Iluminação

Hospital Felício Rocho

Redução de Demanda (kW)

HP: 54      HFP: 80

Redução de Energia (kWh)

HP: 270.067      HFP: 2.251.811

Economia R$ 1.501.123,48

Casos de Sucesso: Ar Condicionado

Hospital Felício Rocho

Redução de Demanda (kW)

HP: 52      HFP: 59

Redução de Energia (kWh)

HP: 162.615      HFP: 1.167.688

Economia R$ 859.818,05

Casos de Sucesso: Iluminação

AeC Contact Center

Redução de Demanda (kW)

HP: 13      HFP: 13

Redução de Energia (kWh)

HP: 64.831      HFP: 884.268

Economia R$ 439.309,46

Casos de Sucesso: Iluminação

Shopping Oiapoque

Redução de Demanda (kW)

HP: 0      HFP: 0

Redução de Energia (kWh)

HP: 0      HFP: 2.197.800

Economia R$ 1.527.620,81

Brasil terá primeiro gigawatt vindo da energia solar

Previsão do crescimento é para dezembro deste ano.

Para o país, 2017 está sendo um ano promissor para energia solar. Segundo a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), até dezembro, o Brasil vai ter seu primeiro gigawatt (GW) vindo da energia solar. Estes números representam crescimento de 325% em relação à capacidade atual de 235 MW, e é suficiente para abastecer cerca de 60 mil residências.

O presidente da Absolar, Rodrigo Sauaia, afirma que o Brasil está entre os 30 países do mundo com essa capacidade instalada. A perspectiva é de estar entre os cinco primeiros até o ano de 2030. Para isso, já foram contratados, por meio de leilões de energia, cerca de 3.300 MW, que deverão ser entregues até 2018.

A energia solar fotovoltaica registrou uma importante redução de preços nos últimos anos, pois a tecnologia se tornou 80% mais barata. Segundo o Plano Decenal de Energia 2021-2026, a energia solar deve alcançar cerca de 7 GW.

Fonte: O Debate