Casos de Sucesso: Ar Condicionado

Hospital Felício Rocho

Redução de Demanda (kW)

HP: 52      HFP: 59

Redução de Energia (kWh)

HP: 162.615      HFP: 1.167.688

Economia R$ 859.818,05

Casos de Sucesso: Iluminação

Hospital Felício Rocho

Redução de Demanda (kW)

HP: 54      HFP: 80

Redução de Energia (kWh)

HP: 270.067      HFP: 2.251.811

Economia R$ 1.501.123,48

Casos de Sucesso: Iluminação

Shopping Oiapoque

Redução de Demanda (kW)

HP: 0      HFP: 0

Redução de Energia (kWh)

HP: 0      HFP: 2.197.800

Economia R$ 1.527.620,81

Casos de Sucesso: Iluminação

AeC Contact Center

Redução de Demanda (kW)

HP: 13      HFP: 13

Redução de Energia (kWh)

HP: 64.831      HFP: 884.268

Economia R$ 439.309,46

Brasil tem 5 mil conexões de geração de energia pelo consumidor

Entre as fontes mais utilizadas está a solar, seguida da eólica.

O Brasil registrou até agosto deste ano 5.040 conexões de geração de energia pelo próprio consumidor – conhecida por micro e minigeração distribuída, que totalizou potência instalada de 47.934 KW. O número é aproximadamente quatro vezes maior na comparação ao mês de setembro de 2015, quando foram computadas 1.148 ligações. Os dados são Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Entre as fontes mais utilizadas está a solar com 4.955 adesões, seguida da eólica com 39 instalações. Em termos de capacidade total instalada, a energia gerada pelo sol também se destaca com 35,8 MW, seguida pela biomassa com 6 MW.

Segundo a Aneel, 78% das conexões de geração distribuída (GD) atendem às residências. Os comércios são responsáveis por 15% das conexões de GD no País. Já o Estado com o maior número de micro e minigeradores é Minas Gerais (1.226 conexões), seguido de São Paulo (711) e Rio Grande do Sul (564).

Com o incentivo do Programa de Desenvolvimento da Geração Distribuída de Energia Elétrica (ProGD), lançado pelo Ministério de Minas e Energia, a previsão é que 2,7 milhões de unidades consumidoras poderão ter energia gerada por elas mesmas até 2030, o que pode resultar em 23.500 MW (48 TWh produzidos) de energia limpa e renovável, o equivalente à metade da geração da Usina Hidrelétrica de Itaipu. Com isso, o Brasil pode evitar que sejam emitidos 29 milhões de toneladas de CO2 na atmosfera.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério de Minas e Energia 

Fonte: O Debate – Portal de Noticias