Casos de Sucesso: Iluminação

Hospital Felício Rocho

Redução de Demanda (kW)

HP: 54      HFP: 80

Redução de Energia (kWh)

HP: 290.927      HFP: 2.425.735

Economia R$ 1.393.225,16

Casos de Sucesso: Iluminação

Shopping Oiapoque

Redução de Demanda (kW)

HP: 0      HFP: 0

Redução de Energia (kWh)

HP: 0      HFP: 2.311.200

Economia R$ 1.887.297,86

Casos de Sucesso: Iluminação

AeC Contact Center

Redução de Demanda (kW)

HP: 13      HFP: 13

Redução de Energia (kWh)

HP: 70.319      HFP: 959.112

Economia R$ 551.142,15

Casos de Sucesso: Ar Condicionado

Hospital Felício Rocho

Redução de Demanda (kW)

HP: 52      HFP: 59

Redução de Energia (kWh)

HP: 178.547      HFP: 1.282.096

Economia R$ 810.225,42

Até 2025, 25% da energia de Cingapura será solar

Plano da cidade-estado é instalar painéis fotovoltaicos até mesmo no mar.

Relatório da Associação de Energia Sustentável de Cingapura prevê que a cidade-estado terá um quarto de sua energia proveniente de sistemas solares até 2025. Para isso, será necessário dobrar a capacidade de energia solar a cada dois anos, a fim de atingir o pico de 2 gigawatts.

Atualmente, 95% da energia gerada em Cingapura vêm de gases naturais. Devido às limitações naturais, não há potencial para energia eólica ou hidrelétricas. Portanto, por enquanto, energia solar é a solução.

O objetivo é chegar ao pico de 350 megawatts (MWp) de energia solar até 2020 e 1 gigawatt em seguida. No momento, a capacidade solar é de 140 MWp, sendo um aumento de apenas 0,4 MWp desde 2008. O pico de energia é o maior resultado alcançado sob radiação solar máxima.

O chefe executivo do Instituto de Pesquisa de Energia Solar de Cingapura, Thomas Reindl, explica que a cidade-estado não pode depender apenas dos painéis solares instalados na terra. Embora o Instituto esteja pesquisando formas de converter a lateral dos prédios em módulos produtores de energia, são as tecnologias flutuantes que aumentarão a produção de energia solar.

Apesar de muitos duvidarem da realização do plano, Reindl aponta que a China atualmente instala 2,5 GW de energia solar por mês. “Se a estrutura for correta e, se a economia estiver funcionando, a velocidade da instalação pode ser absolutamente incrível”, destaca Thomas.

Fonte: O Debate