Casos de Sucesso: Iluminação

Hospital Felício Rocho

Redução de Demanda (kW)

HP: 54      HFP: 80

Redução de Energia (kWh)

HP: 229.894      HFP: 1.916.846

Economia R$ 1.277.825,99

Casos de Sucesso: Iluminação

Shopping Oiapoque

Redução de Demanda (kW)

HP: 0      HFP: 0

Redução de Energia (kWh)

HP: 0      HFP: 1.979.400

Economia R$ 1.375.817,93

Casos de Sucesso: Ar Condicionado

Hospital Felício Rocho

Redução de Demanda (kW)

HP: 52      HFP: 59

Redução de Energia (kWh)

HP: 131.930      HFP: 947.347

Economia R$ 697.571,41

Casos de Sucesso: Iluminação

AeC Contact Center

Redução de Demanda (kW)

HP: 13      HFP: 13

Redução de Energia (kWh)

HP: 54.263      HFP: 740.124

Economia R$ 367.697,89

Grupo cria cooperativa de energia renovável

A micro-usina de energia solar fotovoltaica começou a operar com capacidade de 75 KWp.

O grupo de 23 pessoas investiu ao todo R$ 600 mil na micro-usina solar. A Cooperativa Brasileira de Energia Renovável (Coober) é a primeira do gênero no Brasil e está situada no município de Paragominas (PA). A empresa foi criada em fevereiro deste ano, com base nas novas regras da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que entraram em vigor em dezembro de 2015, com o objetivo de estimular a geração de energia pelos próprios consumidores.

Ao todo são 288 placas fotovoltaicas que possuem capacidade de produção média de 11.550 KW/H por mês. A energia gerada será injetada no sistema da rede Celpa e o resultado será rateado entre os cooperados, descontado diretamente na conta de energia. A previsão é que metade do quadro social da Coober tenha a conta completamente zerada, dependendo do nível de consumo individual.

Dentre as vantagens de se produzir energia renovável (solar fotovoltaica) em cooperativa e não de maneira individualizada estão as isenções fiscais e o menor valor investido. Isso porque os custos são divididos entre os cooperados. Outro ponto é a mobilidade na produção, já que a mudança de endereço não afeta a produção de energia.

Fonte: O Debate