Casos de Sucesso: Iluminação

AeC Contact Center

Redução de Demanda (kW)

HP: 13      HFP: 13

Redução de Energia (kWh)

HP: 64.802      HFP: 883.872

Economia R$ 439.112,73

Casos de Sucesso: Iluminação

Hospital Felício Rocho

Redução de Demanda (kW)

HP: 54      HFP: 80

Redução de Energia (kWh)

HP: 269.957      HFP: 2.250.891

Economia R$ 1.500.510,02

Casos de Sucesso: Iluminação

Shopping Oiapoque

Redução de Demanda (kW)

HP: 0      HFP: 0

Redução de Energia (kWh)

HP: 0      HFP: 2.197.200

Economia R$ 1.527.203,77

Casos de Sucesso: Ar Condicionado

Hospital Felício Rocho

Redução de Demanda (kW)

HP: 52      HFP: 59

Redução de Energia (kWh)

HP: 162.530      HFP: 1.167.083

Economia R$ 859.372,32

Empresas economizam ao produzirem energia própria

Companhia oferece solução mais viável para cada tipo de negócio.

O constante aumento das tarifas de energia elétrica é mais um empecilho com o qual as empresas precisam lidar atualmente. Para que essa não seja mais uma despesa, empresas estão produzindo a própria energia a partir de diferentes métodos.

A empresa paranaense, Solidda Energia, oferece soluções energéticas viáveis e produtos para este fim. Em alguns casos, as indústrias conseguiram gerar toda a energia que consomem. A energia é gerada com diversas matérias-primas, antes descartadas ou subutilizadas, como o cavaco de madeira, lixo urbano, resíduo de serraria, casca de arroz, lenha, resíduos de algodão, cascas de acácia e dejetos da suinocultura.

A empresa Ótima Portas, no Paraná, com a solução implantada pela Solidda Energia, consegue gerar toda a energia que consome e um pouco mais. De acordo com o gerente comercial da Solidda Energia, Rodrigo Duarte, foi instalado na Ótima um sistema de potência de 500 kW. “A base para essa geração são os resíduos de madeira que estavam sendo subutilizados e, assim, a empresa consegue operar em paralelismo permanente com a rede da Copel, na modalidade de Geração Distribuída (GD)”, explica Duarte.

A fábrica utiliza o cavaco de seu processo produtivo de portas e gera a própria energia elétrica sem se desconectar da rede da concessionária. O sistema funciona com um relógio bidirecional que mede toda a energia excedente que é exportada para a rede, e mede também toda a energia que volta da Copel. Esta solução permite que, no final do mês, a empresa tenha créditos de energia elétrica que podem ser consumidos em até cinco anos.

Fonte: O Debate