Casos de Sucesso: Ar Condicionado

Hospital Felício Rocho

Redução de Demanda (kW)

HP: 52      HFP: 59

Redução de Energia (kWh)

HP: 131.930      HFP: 947.347

Economia R$ 697.571,41

Casos de Sucesso: Iluminação

Shopping Oiapoque

Redução de Demanda (kW)

HP: 0      HFP: 0

Redução de Energia (kWh)

HP: 0      HFP: 1.979.400

Economia R$ 1.375.817,93

Casos de Sucesso: Iluminação

Hospital Felício Rocho

Redução de Demanda (kW)

HP: 54      HFP: 80

Redução de Energia (kWh)

HP: 229.894      HFP: 1.916.846

Economia R$ 1.277.825,99

Casos de Sucesso: Iluminação

AeC Contact Center

Redução de Demanda (kW)

HP: 13      HFP: 13

Redução de Energia (kWh)

HP: 54.263      HFP: 740.124

Economia R$ 367.697,89

A Cemig não busca a redução do consumo de energia!

Parece que o título está errado, mas é isso mesmo, afirma Leonardo Resende Rivetti, engenheiro da Cemig.

A Cemig, através de suas Campanhas de Economia de Energia, busca orientar a população quanto à correta utilização da energia elétrica. E isso não implica, necessariamente, em redução de consumo de energia elétrica.

Parece que o título está errado, mas é isso mesmo, afirma Leonardo Resende Rivetti, engenheiro da Cemig.

A Cemig, através de suas Campanhas de Economia de Energia, busca orientar a população quanto à correta utilização da energia elétrica. E isso não implica, necessariamente, em redução de consumo de energia elétrica.

Em princípio, isso pode parecer contraditório, mas basta que sejam compreendidos alguns conceitos simples para que tudo fique mais claro.

O primeiro passo é entender como acompanhar o consumo de energia elétrica.

Para isso, vamos usar o exemplo do consumo de combustível por veículo. O proprietário de um veículo, quando deseja controlar o consumo de combustível do seu carro, não deve verificar qual o consumo total de litros por mês, mas sim quantos km/l (quilômetros por litro), o seu veiculo está fazendo.

Muitas variáveis influenciam no consumo: quantos km foram percorridos na estrada e dentro da cidade, se o ar condicionado foi ou não utilizado, quantos passageiros o carro transportava, etc. É importante que o proprietário esteja atento a todas essas variações.

Da mesma maneira deve ser feito o acompanhamento do consumo de energia elétrica (kWh).

Muitas variáveis influenciam no consumo de energia: o intervalo de leituras do medidor de energia pode variar (entre 28 e 32 dias – veja esta informação em sua conta de energia elétrica), o clima, férias, visitas de parentes, festas, compra de equipamentos elétricos, variação de produção, etc.

Portanto, da mesma maneira que não faz sentido acompanhar o consumo de combustível de um veículo simplesmente pelos litros que ele consumiu, também não fará sentido acompanhar o consumo de energia elétrica (kWh) pelo consumo mensal registrado (informado em sua fatura).

Para que esse controle seja eficaz, é importante que você esteja atento aos diversos fatores variáveis que acontecem em sua residência.

Aproveitando a analogia com o consumo de combustível, o correto será identificar qual é o seu consumo diário (kWh/dia) ou o consumo por produto (kWh/produto).

A Cemig já informa este índice (kWh/dia) na conta de energia dos clientes atendidos em baixa tensão e está providenciando para que o atual gráfico de variação de consumo mensal seja substituído pelo de variação de consumo diário.

Com as campanhas de conscientização sobre o combate ao desperdício de energia e projetos de eficiência energética, a Cemig espera colaborar para redução deste índice.

Além disso, ela espera que, com a economia financeira proporcionada pelo uso eficiente da energia, o cliente possa investir no aumento de seu conforto, adquirindo novos e eficientes eletrodomésticos. Até a produção desses eletrodomésticos seria incrementada, já que haveria redução dos custos, maior competitividade e, claro, maiores vendas.

Agora que esse conceito já está esclarecido, o cliente pode facilmente perceber como é frágil, além de falsa, a idéia de que consumir menos energia é melhor ou mais eficiente.

É importante que se tenha em mente que a Cemig não deseja a perda de conforto do cliente ou a redução da produção de uma indústria.

Ao contrário, ela acredita que evitar desperdícios, adquirir equipamentos eficientes, fazer uso racional da energia, aplicar técnicas de eficiência energética não implica, necessariamente, em redução de consumo de energia elétrica (kWh).

Definitivamente, Racionalização não é Racionamento.